Como vencer as armadilhas da autossabotagem e alcançar seu verdadeiro potencial

Em algum momento você deixou de fazer algo que tivesse muita importância para você? Tipo aquelas famosas resoluções de ano novo. “Este ano vou mudar de emprego”. “Este ano vou estudar inglês”. “Este ano vou fazer exercícios físicos”. Ou então, você já foi em algum evento ou palestra, se sentiu inspirado na hora, mas no dia seguinte voltou aos velhos hábitos?

Isso chama-se autossabotagem.

Nossa mente pode ser a nossa maior aliada, mas também pode ser nossa maior vilã. Sabe aquelas histórias do cinema com os mocinhos e os bandidos? Pois então, nossa mente é assim.

Este é um tema que abordo com todos meus clientes, já que a autossabotagem nos impede de atingirmos os nossos objetivos e conseguirmos os resultados que almejamos.

Em “Inteligência Positiva”, Shirzad Chamine diz que apenas 20% das equipes e dos indivíduos alcançam seu verdadeiro potencial.

Neste texto, quero mostrar quais são vilões que impedem isso e como podemos neutralizá-los e usarmos a nossa mente a nosso favor para extraímos os melhores resultados.

“A razão do fracasso da maior parte dos nossos esforços no sentido de obtermos mais sucesso e sermos mais felizes é porque sabotamos a nós mesmos. Mais precisamente, as nossas mentes nos sabotam”.

O que é autossabotagem?

Autossabotagem ocorre quando criamos obstáculos e empecilhos para a realização das nossas tarefas, objetivos, metas e até mesmo nossos sonhos. Isso gera grandes atrasos em nossas vidas nas mais diversas áreas.

Geralmente, ela tem associação a dor ou prazer em determinadas coisas – podendo trazer algo de muito bom, como também algo extremamente desagradável.

Exemplo: Imagine uma segunda-feira. O despertador toca e você fica enrolando para sair da cama. O “soneca” tocou umas dez vezes. Você pega muito trânsito, se atrasa e seu humor já era.

Os Sabotadores

Segundo Chamine, existem 10 tipos de sabotadores, sendo o crítico o principal.

Crítico:

Vamos imaginar uma situação de adversidade. Quando ela ocorre, o principal vilão (o crítico) se junta a seus cúmplices, tendo sempre um ou mais que é/são mais ativo(s).

Geralmente, suas ações são reativas e acontecem da seguinte forma:

– Criticam a si mesmo;

– Criticam as pessoas ao seu redor;

– Culpam as circunstâncias externas.

“A menos que você enfrente e enfraqueça os seus próprios inimigos internos, os quais chamamos de sabotadores, estes vão fazer de tudo para pilhar qualquer melhoria que você consiga alcançar”.

Vamos aos nove sabotadores:

1. Insistente – Perfeccionista, nunca está bom. Tem alto grau de exigência consigo e com os outros. Geralmente deixar de fazer por achar que não está preparado.

2. Prestativo: Tentativa indireta de conseguir aceitação e afeição por meio de ajuda, agrado, resgate ou elogio a outros. Perde as próprias necessidades de vista e se torna ressentido como resultado

3. Hipervigilante – Este sabotador é ansioso, desconfiado e intenso, constantemente vigilante e sensível ao perigo; está sempre à beira do esgotamento e afasta as pessoas.

4. Inquieto – Exige ocupação constante, não consegue ficar parado, procura novas experiências, fica entediado e frustrado rapidamente quando as novas experiências se tornam obsoletas. Geralmente tem muitos começos e poucos fins, acredita que “a vida é muito curta” e resiste aos relacionamentos duradouros.

5. Controlador – Este sabotador precisa estar no controle de tudo e de todos, conquistando concursos, empregos e desafios. Os Controladores são propensos à ansiedade e impaciência. Eles “forçam a barra” para realizar as suas tarefas, não importa o que aconteça aos outros.

6. Esquivo: Procrastinador. Joga tudo para depois – “faço daqui 20 min”. Simplesmente trava quando tem muita coisa para fazer.

7. Hiper-realizador: Faz muitas coisas ao mesmo tempo. “Eu tenho que fazer”. Geralmente falta foco. Ao mesmo tempo que está aqui, ele está no celular, pensando em outras coisas e no que tem que fazer.

8. A Vítima – Este “mártir” quer que todos prestem atenção às suas experiências dolorosas e tem uma autoimagem do estilo “coitado de mim” e “ninguém me entende”. Ele faz com que os outros se sintam impotentes por não conseguirem aliviar a sua dor.

9. Hiper-racional – intenso e exclusivo no processamento racional de tudo, incluindo relacionamentos. Pode ser percebido como frio, distante e intelectualmente arrogante.

O Sábio

Ao contrário do crítico, o sábio o é mocinho. Quando nos deparamos com as situações de adversidades, nossas ações são pró ativas. O Sábio aparece para derrotar os seus sabotadores.

O Sábio lhe permite explorar novidades e manter a mente aberta, mostrar compaixão e simpatia pelos outros e por si mesmo, inovar e ignorar os seus sabotadores.

“O Sábio procura admitir a realidade das coisas ao invés de negá-las, rejeitá-las ou se ressentir com elas.

Quando estamos sob sua influência, conseguimos nos concentrar naquilo que precisa ser feito, mas sem ansiedade.

Essas são as chamadas cinco forças do Sábio:

1. Empatia – Esta força permite que você se conecte aos seus sentimentos e ajude os outros a superarem as suas dificuldades.

2. Exploração – Seja um observador atento e um descobridor de novas possibilidades, sem tentar julgar, alterar ou controlar a situação.

3. Inovação – Os sabotadores interferem na sua capacidade de inovar. Gere tantas ideias novas quanto puder e não rejeite nenhuma delas. Permita que as novas ideias floresçam.

4. Navegação – Quando estiver preso na rotina, utilize esta força para seguir a sua bússola interna que o orienta. Escolha um caminho que seja significativo para você.

5. Ação decisiva – Para evitar que os sabotadores frustrem os seus planos, reflita sobre as suas escolhas de vida. Que mudanças você faria? Quando estiver calmo e com a mente tranquila e focada, estará pronto para utilizar a quinta força do Sábio: partir para a ação.

Enfrentar os medos

Todo sabotador tem por trás alguns medos que são bastante comuns – e que nos fazem desistir de nossos objetivos exatamente por não querermos encará-los.

Os medos mais comuns que nos assombram são crítica, errar, confronto, rejeição, perder o poder, ócio, responsabilidade, risco e emoções.

Não existe uma receita ou fórmula mágica, mas você deve enfrentá-los – essa é única maneira de vencer seus inimigos.

Para eliminar qualquer hábito de autossabotagem você deve partir para a ação e agir com foco positivo e determinação.

Agora faça um exercício de autorreflexão.

Você está pronto para combater seus inimigos internos? – No livro há um teste que você pode realizar para descobrir quais são os seus principais sabotadores..

Quer saber mais detalhes ou ficou com alguma dúvida? Entre em contato comigo no e-mail contato@eduardozanini.com . Será um prazer te ajudar!

Edzanini Written by:

3 Comments

  1. AMÉLIO JOAQUIM BORGES VARGAS
    junho 9, 2017

    AUTOSSABOTAGEM:
    Valeu todos os tópicos abordados. Muito bom para uma avaliação pessoal.
    Obrigado,
    Eduardo Zanini

  2. junho 13, 2017

    Gostei de saber sobre os sabotadores. Notei que alguns estão atuando nos meus projetos, tenho que enfrenta-los.

    • Edzanini
      junho 16, 2017

      Verdade cara, eles aparecem com frequência. O legal que podemos dominá-lo. Qualquer dúvida que tiveres podes me contatar. Obrigado.

Comments are closed.